Jesus no Isla – Parte 2 – Especial Ramadan ou Ramadã 2008

Leia em http://www.barbarasaleh.com/2008/09/12/jesus-no-isla-parte-1-especial-ramadan-ou-ramada-2008/

9 Responses to “Jesus no Isla – Parte 2 – Especial Ramadan ou Ramadã 2008”


  1. 1 Andrea 12 de setembro de 2008 às 16:48

    Tá virando minha professora………….
    Flor, publiquei uma foto do Mohamed no meu blog…. depois passa lá para matar curiosidade……
    Adorei sua foto aqui de roupa verde!!!!!!!! Tá muito fofis!!!!!!! Adorei….
    Beijo enorme!!!!!!!!!

    Barbrinha

    Obaaaaaaaaa….ja vou correr pra la……Beijos e fiquem com Deus

  2. 2 Suzerley 12 de setembro de 2008 às 17:41

    Muito bom o texto, bom mesmo, pois a Bíblia fala muito pouco do passado de Maria, e é legal saber mais sobre sua história.
    Báh, o Alcorão são as tábuas (pedras) que Deus revelou e que Moisés escreveu?
    Me ajude a entender de onde vem o alcorão, minha igreja uma vez falou sobre o Alcorão mas eu não prestei atenção porque na época não tinha interesse nesse assunto, mal sabia eu oquanto me faria bem saber a verdade…
    Beijos

    Barbrinha

    Oi Su, acho que a Iris te respondeu neh?

    Vc viu o comentario dela? Ta completo……

    Beijos e fiquem com Deus

  3. 3 Bassam Derbass 12 de setembro de 2008 às 18:19

    Muitoo Bom mostrar pro pessoal que o Muçulmano não tem nada contra Jesus.. e q ele é tão importante quanto nosso profeta Muhammad (S.A.W.)..
    Muito bom mesmoo..

    Allah Maak

    Barbrinha

    Muito obrigada…..

    Allah ma’ak

  4. 4 Juliana 12 de setembro de 2008 às 18:24

    De Maria eu nao sabia tudu isso tambem nao, mas é bom aprende mais um cadinhu ne =]

    bjuuu Baa pra vcs todas tbm
    fikem com DEUS!!!!

    Barbrinha

    Temos um grande carinho por ela no Islam……Beijos e fiquem com Deus

  5. 5 Irís 13 de setembro de 2008 às 3:26

    Linda história de Maria. Allah tem lugar especial para Ela.

    Amin..

    Bjs.

    Barbrinha

    Salam Iris, muito bonita mesmo.,…..obrigada pela ajuda de sempre…..

    Beijos e fiquem com Deus

  6. 6 Irís 13 de setembro de 2008 às 5:10

    Oi Suzerley,

    voce está confundindo as coisas, o Alcorão com as tábuas dos 10 mandamentos!!

    Bjs.

  7. 7 Irís 13 de setembro de 2008 às 5:20

    Vou colocar aqui o básico:

    QUE É O ALCORÃO?
    O Alcorão é um registro das palavras exatas reveladas por Deus por intermédio do anjo Gabriel ao Profeta Mohammad. Foi memorizado por ele, e então ditado aos seus companheiros, e registrado pelos seus escribas, que o conferiram durante sua vida. Nenhuma palavra de suas 114 suratas foi mudada ao longo dos séculos. Assim, o Alcorão é, em cada detalhe, o único e miraculoso texto que foi revelado a Mohammad quatorze séculos atrás.

    DE QUE TRATA O ALCORÃO?

    O Alcorão, a derradeira palavra de Deus revelada, é a principal fonte da fé e da prática de todo muçulmano. Ele trata de todos os assuntos relacionados conosco, como seres humanos: sabedoria, doutrina, rituais e lei, mas seu tema básico é o relacionamento entre Deus e Suas criaturas. Ao mesmo tempo ele proporciona orientação para uma sociedade justa, uma conduta decente e um sistema econômico eqüitativo.

    O estilo e a dicção do Alcorão são magníficos e apropriados para a sua qualidade Divina. Sua recitação comove o espírito até daqueles que apenas o ouvem sem entendê-lo. Com o passar do tempo, o Alcorão tem, em virtude de sua reivindicação de origem divina, desafiado a todos a criarem, conjuntamente, mesmo uns poucos versículos iguais aos que ele contém. Tal desafio porém tem permanecido sem resposta até os nossos dias.

    Há algumas diferenças intrínsecas entre o Alcorão e os livros precedentes. Tais diferenças podem ser sucintamente estipuladas, como segue:

    1. Os textos originais da maior parte dos primitivos Livros Divinos foram em sua quase totalidade perdidos, sendo que somente as suas traduções existem hoje. O Alcorão, por outro lado, existe hoje exatamente como foi revelado ao Profeta; nem uma palavra – mais ainda, nem uma letra sequer – foi trocada. Encontra-se à disposição, em seu texto original, fazendo com que a Palavra de Deus seja preservada agora, bem como por todo o porvir.

    2. Nos primitivos Livros Divinos os homens mesclaram suas palavras com as palavras de Deus; porém, no Alcorão encontra-se tão-somente as palavras de Deus – em suas prístinas purezas. Isto é admitido, mesmo pelos oponentes ao Islam.

    3. Não se pode dizer, com base na autêntica evidência histórica, em relação a nenhum outro Livro Sagrado possuído por diferentes povos, que ele realmente pertence ao mesmo profeta a quem é atribuído. No caso de alguns deles, mesmo isto não é sabido. Em que época e a que profeta eles foram revelados? Quanto ao Alcorão, as evidências que existem de que foi revelado a Mohammad são tão vultosas, tão convincentes, tão sólidas e completivas, que mesmo o mais ferrenho crítico do Islam não pode lançar dúvidas sobre isso. Tais evidências são tão vastas e detalhadas, que sobre muitos versículos do Alcorão, mesmo a ocasião e o local de suas revelações, podem ser conhecidos com exatidão.

    4. Os primitivos Livros Divinos foram revelados em línguas que estão mortas desde há muito tempo. Na era presente, nação ou comunidade alguma fala tais línguas e há apenas umas poucas pessoas que se jactam de compreendê-las. Destarte, mesmo que tais Livros existissem hoje em suas formas originais e inadulteradas, seria virtualmente impossível, em nossa era, compreender e interpretar corretamente suas injunções, bem como pô-las em prática em sua forma requerida. A língua do Alcorão, por outro lado, é uma língua viva; milhões de pessoas falam-na e outro tanto a compreende. Ela está sendo ensinada e aprendida em quase todas as universidades do mundo; todas as pessoas podem aprendê-la, e aquele que não tem tempo para isso pode, em qualquer parte, deparar com quem conheça a língua, que lhe explique o significado do Alcorão.

    5. Cada um dos Livros Sagrados existentes, encontrados entre as diferentes nações do mundo, foi dirigido a um povo em particular. Cada um deles contém um número de ditames que parece Ter sido dirigido a um período da história em particular e que supria tão-somente as necessidades daquela era. Tais necessidades não são válidas hoje, nem tampouco podem ser aplainadas e propiciamente vertidas para a prática. Depreende-se disto que tais livros eram dirigidos àqueles povos em particular e nenhum deles para o mundo. Ademais, eles não foram revelados para serem seguidos permanentemente, mesmo pelo povo para o qual foram revelados; restringiam-se a influenciar somente sobre um certo período. Em contraste a isso, o Alcorão é dirigido a toda humanidade; não se pode suspeitar que injunção alguma tenha sido dirigida a um povo em especial. Do mesmo modo, todos os ditames e injunções no Alcorão são os mesmos que podem ser aplicados em todos os lugares e em todas as épocas. Este fato vem provar que o Alcorão é dirigido ao mundo inteiro, constituindo-se em eterno código para a vida humana.

    Barbrinha

    Salam Iris,

    Muito obrigada pela ajuda que esta me dando…..que Deus lhe cubra de bencaos……

    Beijos e fiquem com Deus

  8. 8 Aisha 13 de setembro de 2008 às 21:02

    Assalamu Alaikum querida Bárbara, excelente! Mashallah!

    Barbrinha

    Aleikom Salam Aisha…..

    Muito obrigada……

    Beijos e fiquem com Deus


Comments are currently closed.



setembro 2008
D S T Q Q S S
« ago   out »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Mudamos!

Pessoal, o site mudou para casa própria, mas tá tudo lá! É só substituir aí nos seus favoritos o www.barbrinha.wordpress.com por www.barbarasaleh.com!

Os comentários aqui estão fechados, mas o bate-papo continua lá na casa nova. Não deixe de me visitar e participar!

Te vejo lá! Beijos e fiquem com Deus.


%d blogueiros gostam disto: