Na aula de ingles…

Leia em http://www.barbarasaleh.com/2008/11/25/na-aula-de-ingles/

Anúncios

26 Responses to “Na aula de ingles…”


  1. 1 Carol 25 de novembro de 2008 às 10:42

    aiii que odioooo acho q eu teria batido nele.. ehhegeehehe
    bom saber que ele era o unico… que odiooo

  2. 2 kalita 25 de novembro de 2008 às 14:58

    Aceitam ogros em salas de aula agora é?

    haha

    é rir pra não chorar!

    Ontem assiti caçador de pipas e me lembrei de voces quando eles diziam : inshallah (escreví certo?)

    beiiijos!

  3. 3 Beth/Lilás 25 de novembro de 2008 às 15:05

    Ihh, Barbrinha, o cara pegou pesado!!!
    Manda ele pro Afganistão que lá é que tem Talibãs ainda.

    Brincadeiras à parte, pois sei que é difícil lidar com cabeças assim e por vezes perigoso para uma moça brasileira e cheia de conhecimentos de um mundo civilizado e atual, mas o sujeito está tão por fora que não imagina que hoje, aqui mesmo no Brasil, as mulheres estão galgando postos altíssimos e superiores a muitos homens. Haja vista que a grande maioria vai bem melhor que os meninos na faculdade, são estudiosas e interessadas bem mais que os meninos.

    Mas, o certo é como vc mesma disse, ou seja, caminha lado a lado com o homem, sem competição e desentendimentos, apenas capacidade e liberdade para expandir seu intelecto.

    beijão carioca

  4. 4 priscila e as meninas 25 de novembro de 2008 às 16:05

    nossa que mentalidade desse cara viu…triste a mulher que casar com ele…!! Ai achei pessimo parar o filme ja pensou bem no climax?!!! Mas escolher seu lugar é otimo!!!!bjkssss

  5. 5 Juliana 25 de novembro de 2008 às 16:45

    QQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQ … AHHHHHH NAO eu ja flava na lata dele vc num ta vendo que o seu pensamento é o mais atrasado daqui, vai voce cuidar dos filhos administrar a casa cuidar da educação das crianças pra ve sua capacidade de HOMEM SUPERIOR ai que issu sobe o sangue verde da gente kkkkkkkkkk

    ah Barbrinha sonhei que vc tava gravida kkkkkkkk

    bauces
    ficam com DEUS =]

  6. 6 Karim e Leo 25 de novembro de 2008 às 18:01

    Aaaaaiiiiiii, Barbrinha!! Que coisa esse ‘Homem de Neanderthal’, hein?? … Eu entendo que culturalmente as coisas sejam diferentes, e que na prática as coisas aconteçam assim mesmo. Mas no século XXI não dá pra acreditar nas palavras de um ser desses, né? Beijos

  7. 7 Linda 25 de novembro de 2008 às 18:09

    Olá,
    Venho acompanhando seu blog faz uns 2 meses, divulguei p/ amigos q tb te visitam com frenquencia. Adoramos suas histórias e sempre comentamos !!!
    Tive a inspiração de fazer um blog tb … segue link p/ vc visitar!!!

    http://naotofazendonadamesmo.blogspot.com/

    bjoosss

  8. 8 lucia 25 de novembro de 2008 às 19:00

    Eu nao suporto gente com mente fechada ou pequena, minha nossa senhora!

    Entao do jeito que vc falou, a culpa e’ das mulheres por terem um emprego bom e simplesmente sairem da empresa ao se casarem. Nao as culpo por nao as darem oportunidades, pois pra que investir em alguem se ja sabem que vao sair?

    Parece que elas querem igualdade, mas nao agem a respeito. Nem morta que eu dependeria do meu marido! Quero um dia trabalhar de casa, mas quero ainda ser financeiramente independente de qq pessoa! Casando ou nao, acho que manter sua individualidade e’ extremamente importante!

    E se eu tivesse que largar minha carreira pra ficar em casa tomando conta de filhos, eu ia morrer por dentro. Nao e’ pra mim.

    Bjos

  9. 9 Raniele 25 de novembro de 2008 às 19:27

    Poxa vida!! que raiva que dá!!! infelizmente, já ouvi muito o mesmo discurso aqui no nosso Brasil!!! Eu penso que Deus não fez a mulher nos pés do homem, para está abaixo dele, também não fez na cabeça para ser mais inteligente ou coisa assim. Deus a fez da costela para está ao lado do homem. Diferentes, sim, mas não, melhor ou pior.

    Abraços da Rani!!!

  10. 10 Denise Neves Santos 25 de novembro de 2008 às 20:19

    “Posso dizer que na minha experiencia aqui num pais do Oriente Medio, essa foi a primeira vez em quase tres anos que vi um homem com essa mentalidade.”

    Tenho certeza absoluta que muitos, muitos, muitos homens mesmo compartilham dessa opiniao (incluindo um reitor de Harvard, lembram-se? http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2005/01/050118_harvardcl.shtml ). A diferenca é que poucos tem coragem de assumir a opiniao. Nos países árabes no entanto, o preconceito é muito óbvio, e acentuado, como por exemplo nesse post, onde voce diz:

    “Outras ja tinham tocado no tema, e ao serem questionadas se ao casar deixariam ou nao o emprego, a maioria disse que sim. Entao eh aguentar as consequencias.”

    Nao é bem assim. As empresas (ocidentais) geralmente investem em funcionários da mesma maneira. É ilusório tratar todos os funcionários como se eles fossem trabalhar para sempre na sua empresa. Hoje isso nao existe mais.

    Qual a diferenca da moca que, depois de tres anos em uma empresa, troca a carreira pela maternidade e do rapaz que, depois de tres anos nessa mesma empresa, recebe uma proposta de trabalho melhor e muda de emprego? A meu ver: nenhuma. Os dois largaram a empresa que tanto investiu nas carreiras deles.

    Pensar que as mulheres devem ter sua liberdade e capacidade cerceada porque em algum momento ela PODE optar pela maternidade, é ridículo. Ainda mais em um lugar onde as mulheres nao tem, culturalmente, poder de escolha mesmo…Tenho amigas árabes (egípcias) e bem sucedidas. Só quem acompanha de perto sabe como é para elas…

    Ado, ado, ado…

  11. 11 Reflexos 25 de novembro de 2008 às 21:40

    Quandoalguém diz disparates eu costumo dizer: ops, os caixotes do lixo agora falam!
    Tu tinhas um enorrrme na tua sala!

  12. 12 sheila 25 de novembro de 2008 às 22:52

    Esse sujeito devia ser uma bicha enrustida e infeliz.

    Sempre achei que MISOGINIA = VIADAGEM.

    Manda ele ir morar em San Francisco, sair do armário e ser feliz!

  13. 13 Fernanda 26 de novembro de 2008 às 5:04

    Acho que ele abriu a boca pra falar uma coisa que infelizmente alguns homens ateh hoje pensam, nao soh arabes nao. Fico boba em pensar que ateh hoje aqui, um pais tao “desenvolvido”, onde as mulheres sao tao independentes, o salario do homem ainda eh maior que o da mulher. Um absurdo! Ainda temos muito pela frente! Beijos.

  14. 14 Ciça 26 de novembro de 2008 às 12:24

    Ai Jesus… ele deve dar uma surra por dia na mulher e nos filhos ao invez de dizer “te amo”

  15. 15 sami 26 de novembro de 2008 às 14:04

    Lendo o post, fiquei curiosa de saber em quais profissoes as mulheres tem mais participação e maiores possibilidades de crescimento. uma vez vc disse que as mulheres aí preferiam se consultar com médicas, então seria esta uma profissão com grandes possibilidades para as mulheres?
    Tb fico curiosa com o seguinte: mulheres que tem filhos e trabalham precisam de uma rede de suporte, como por ex.Uma médica que trabalha precisa de creche, babás, empregadas… Estes empregos tb são em geral exercidos por mulheres, que por sua vez tb precisam deste mesmo suporte para criar seus filhos… Minha pergunta então é: como as famílias se organizam? O governo providencia creches – integrais- ou não há demanda suficiente? Os avós se organizam pra cuidar dos netos nestes casos?
    Adoraria se vc fizesse um post sobre isto. Adoro ler sobre esta cultura tão diferente aqui no seu blog.

  16. 16 Daniele El Seoudi 26 de novembro de 2008 às 15:08

    QUE IGNORANTE!!!!

    NÃO CONHECE A PALAVRAS DE ALLAH (SUBHANA WA TA’ALA) E AINDA DETURPA AS COISAS!!!!!!

    OWWW REVOLTA!

  17. 17 Gláucia 26 de novembro de 2008 às 16:05

    Denise, pelo amor de DEUS, o reitor de harvard NÃO COMPARTILHA dessa visão! ficou louca? O que ele diz é que determinadas áreas do conhecimento estão mais ligadas a um sexo ou outro.JAMAIS que homens são superiores às mulheres!! no caso específico, citou determinada área científica onde acredita os homens tem tendências naturais a saírem melhores. Lógico, houve protestos das mulheres, pois a maioria de nós não aceita esse julgamento, principalmente as ocidentais, que levam os estudos a sério e jamais aceitariam o papel da “do lar”, inferior ou incapaz intelectualmente. Agora, sei que minha opinião é polêmica (aqui) mas fico passada com essas mulheres (que a Bárbara comenta) que deixam o ocidente para fazerem casamentos no Egito ou qualquer pais do oriente médio ,com homens mulçumanos. Nada contra a religião, mas as culturas… O que leva uma mulher trocar sua independencia, sua chance de aperfeiçoamento intelectual para estar com um homem que fará delas apenas suas cozinheiras, passadeiras…? SEM QUALQUER perspectiva de melhoras? Sei que muitas submissas gritaram que NO BRASIL também há homens que assim o fazem. Aliás, ridiculo argumento, pois assim justificam qualquer coisa. Exemplo: Fulano bate na mulher. Ah, mas no brasil também há homens que batem. Fulano matou a mulher; mas no brasil tbém matam. E assim por diante… ou seja justificam qualquer atrocidade. Sei que existem mulheres que não gostam de trabalhar fora. Sei que algumas preferem passar o dia com uma vassoura ou rodo na mão, ou lavando vasilha, banheiro, passando roupa de homem a terem sua própria independência, voz, dinheiro e vida. Acham que é mais fácil terem um homem para pensar por elas. Mas acredito piamente que até mesmo nesse países em que a religião determina o que as pessoas podem fazer ou pensar, haverá um dia uma revolução ( como houve no ocidente)que fará de homens e mulheres seres com os mesmos direitos. Claro que ainda demora, mas já há vozes femininas nesses grotões, clamando por serem respeitas como seres humanos e não apenas como esposas e mães. Porque, acreditem algumas de vocês: a mulher é muito mais que uma mãe ou esposa. E um dia, países muçulmanos ainda vão reconhecer e respeitar a mulher. Aí, veremos mulheres estudando com vontade para conquistar empregos estáveis, veremos mulheres passeando livremente pela sua cidade sem a necessidade de um acompanhante masculino da família as guiando como umas débeis mentais, as veremos dirigindo, escolhendo seus próprios parceiros,sendo chamadas pelo próprio nome na rua, rindo e olhando no olho de homem sem medo de ser julgada uma vagabunda.E não venham me falar que que as restrições que mulheres muçulmanas sofrem é questão cultural. É religiosa. Claro, tem as que adoram essas coisas (a própria Barbrinha, que nitidamente é uma dona de casa feliz e satisfeita). Mas acreditem, convivo muito com a comunidade árabe (egípcios, libaneses, turcos…) e sei que a maioria das mulheres são insatisfeitas com as restrições. As poucas que não, percebi as mais ignorantes e até mesmo aquelas prejudicadas intelectualmente.

  18. 18 Denise Neves Santos 26 de novembro de 2008 às 19:56

    Glaucia, nao estou louca.

    “O que ele diz é que determinadas áreas do conhecimento estão mais ligadas a um sexo ou outro. JAMAIS que homens são superiores às mulheres!!”

    Ah ta, as “determinadas áreas do conhecimento” sao apenas ciencias e matematica. Mas que ciencias sao essas? De um modo bem resumido, ciencia é tudo o que nao é arte (academicamente). Para uma lista dos campos da ciencia, acesse: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ci%C3%AAncia#Campos_da_ci.C3.AAncia

    Ufa! Pelo menos lavar, passar e cozinhar nao é ciencia, é ARTE! E nisso, TALVEZ, sejamos mais aptas que os homens!

  19. 19 Denise Neves Santos 26 de novembro de 2008 às 20:00

    Ah, mas o ex-reitor de Harvard nao é machista (Mr. Summers, branco, rico, letrado, americano, ex-secretário do Tesouro e ex-reitor de Harvard – por causa dessa afirmacao que lhe custou o cargo).

    Mas o mulcumano, pobre, egípcio, ignorante, sem cultura (aparentemente nem o corao leu) e sem oportunidade, esse sim, merece mil pedras.

    !!!!!!!!!

    Ta tudo errado!!!

  20. 20 márcia 26 de novembro de 2008 às 20:18

    ainda bem que pessoas como esse cara são exceção no mundo. É muito bom pq poder enfrentar um cara assim e ser apoiada pelos outros. beijosss. tou sempre passando por aqui, mas tou deixando menos recados. Da uma passadinha no meu blog.

  21. 21 Camila 26 de novembro de 2008 às 20:35

    Infelizmente, homens (e mulheres também) que pensam dessa maneira , existem em todo o lado. No ocidente, oriente, norte e sul. Mais do que uma questão social ou cultural, é uma questão de personalidade e formação!
    Resta-nos apenas demonstrar a essas pessoas que o mundo é diferente do que elas pensam, com os nossos actos e a nossa coerência. Porque com essa gente nem vale a pena bater boca!

  22. 22 luciana 27 de novembro de 2008 às 12:48

    “O que ele diz é que determinadas áreas do conhecimento estão mais ligadas a um sexo ou outro. JAMAIS que homens são superiores às mulheres!!”

    Isso me faz pensar uma coisa: por que então certas faculdades estao cheias de homens e outras cheias de mulheres? Considere que no Brasil, o ensino superior é acessível a todos, sem distinção de sexo. Será que a teoria desse professor *realmente* não pode ter um respaldo se a gente analisar a divisao das profissoes e de certos estudos.

    Isso nao significa que um homem nao tenha talento para ser doceiro, e uma mulher nao tenha talento para ser fisica nuclear.

    Mas eu nem acho uma aberração enorme a teoria desse homenzinho nao.


  1. 1 educacaofisica » Blog Archive » Na aula de ingles… Trackback em 3 de dezembro de 2008 às 5:13
  2. 2 cristianismo » Blog Archive » Na aula de ingles… Trackback em 3 de dezembro de 2008 às 10:32
  3. 3 fisica » Blog Archive » Na aula de ingles… Trackback em 4 de dezembro de 2008 às 0:42
  4. 4 educacao » Blog Archive » Na aula de ingles… Trackback em 4 de dezembro de 2008 às 15:35
Comments are currently closed.



novembro 2008
D S T Q Q S S
« out   dez »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Mudamos!

Pessoal, o site mudou para casa própria, mas tá tudo lá! É só substituir aí nos seus favoritos o www.barbrinha.wordpress.com por www.barbarasaleh.com!

Os comentários aqui estão fechados, mas o bate-papo continua lá na casa nova. Não deixe de me visitar e participar!

Te vejo lá! Beijos e fiquem com Deus.


%d blogueiros gostam disto: